Blog sobre Iluminação, Arquitetura, Design

Posts Tagged ‘arquitetura’

MO House – perfeita luz natural.

In Efeitos de iluminação, Iluminação natural on 19 de fevereiro de 2014 at 14:10

mo house Assim que eu vi o projeto desta casa, logo em seguida quis compartilhar com vocês. Observem a beleza e simplicidade da arquitetura que abraça os elementos verdes  do lote.
A proposta era de não fazer retiradas das árvores existentes, e assim nasceu o projeto com a distribuição de vários blocos interligados entre si. Vejam o resultado de harmonia, geometria e qualidade bioclimática e bucólica.

mo house

10_101015-v24-piezas-bosque-linea_v2

mo housemo house

mo house

 mo house

mo house

mo house

mo houseFonte das imagens site: frpo

Projeto by RODRIGUEZ & ORIOL ARCHITECTURE LANDSCAPE.
Local: Madri, Espanha.

Anúncios

ARANDELA

In Informções técnicas, Projeto luminotécnico on 19 de agosto de 2013 at 19:48

arandela

Já comentamos aqui no blog muito sobre luminárias de leitura, abajur, pendente para mesa de jantar e balizadores. Hoje iremos dar a vez para falar das arandelas. Essas luminárias, como comentado no post “tipos de luminárias“, elas são instaladas na parede. No mercado há uma infinidade de soluções e estilos das peças, de acordo com a finalidade da sua arquitetura ou sua decoração. Vamos conferir algumas?

Arandela arquitetural: é quando a luminária tem função apenas de desenhar a luz, e não de impor alguma decoração. Geralmente essas peças são da mesma cor que a parede e tem suas formas e linhas mais limpas e linear, sem muita informação. Normalmente essas peças são escolhidas para usar na área externa, mas nada impede de usá-las no interior também.

arandelaFonte da imagem site: Escritório da Luz

 Essa luminária acima produz uma luz indireta e não faz marcação do desenho da luz, apenas distribui de forma difusa.

arandelaFonte da imagem site: Art Luz

Já essas arandelas da imagem acima “desenha a luz”. No mercado você encontra ela com o facho fechado, aberto ou difuso. Neste caso é facho fechado para baixo e aberto para cima. E a partir disso você contruibui com a sua criação.

 arandela

arandelaFonte da imagem site: Home dit

Vejam algumas imagens de fachadas externas e outras na área interna com o “desenhar a luz”.

arandelaFonte da imagem site:  Light Design.

arandelaFonte da imagem site: Geo Cerâmica.

arandela

arandelaFonte da imagem site: architecturelover

Arandela decorativa: é quando a luminária em si se destaca mais do que a própria luz. Isso não quer dizer que a luz não será charmosa ou funcional, será sim, mas o intuito inicial é que a peça seja um elemento decorativo.

arandelaFonte da imagem site: Ingo Maurer

arandela Fonte da imagem site: Ingo Maurer

Arandelas spots: Essas peças agregam valor decoração e são muito funcionais, pois a luz se posiciona para uma função específica como aparador, bancadas e mesas. Algumas vezes elas podem direcionar a um quadro, na impossibilidade de colocar um spot no teto.

arandelaFonte da imagem site: A cup of jo

arandelaFonte da imagem site: Pinterest.

arandelaFonte da imagem site: Pinterest.

Arandelas para leitura: São peças muito funcionais, pois liberam espaço de alguma mesa lateral para outros materiais e podem ser articuladas, forçando o direcionamento para a leitura propriamente dita.

arandelaFonte da imagem: Pinterest.

arandelaFonte da imagem site: Fancy.

arandelaFonte da imagem site: Pinterest.

Bom projeto!

arandela

Iluminação para piscina

In Projeto luminotécnico on 20 de fevereiro de 2013 at 19:54

piscina.06Fonte da imagem site: Homedit.

Hoje nosso assunto é um tanto “fresquinho” para um dia de verão brasileiramente quente. Quem não gosta de um banho de piscina, estar com os amigos, a família, fazer uma festa na beira da piscina? Hum…..está ficando interessante.

E cada projeto de piscina tem uma diferente geometria, espaço, cor de acabamento… integrando com a arquitetura e o desenho paisagístico. Essa semana no blog do Rodrigo Barba foi abordado sobre piscinas biológicas, uma nova técnica “eco” de se montar uma piscina.

No projeto luminotécnico do paisagismo incluimos também a piscina. Elas merecem um cuidado especial na hora de definir o projeto, pois elementos como tamanho, profundidade, geometria e cores de acabamento influenciam muito no resultado final. Para isto é necessário definir o desenho da piscina e posteiormente a iluminação, muito antes de ser executada. Porque é necessário executar a passagem da fiação e determinar a casa de máquinas. Que também será influenciado pelo tipo de equipamento luminoténcico a ser definido.

  • Vamos começar comentando sobre iluminação pontual:

Estes são resolvidos com spost embutidos na piscina. Esses pontos podem emitir luz com a lâmpada dicróica, LED ou fibra ótica. A dicróica é a menos recomendada, principalmente porque consome em média de 35 à 50W cada ponto de luz, enquanto o LED e a fibra ótica é de baixo consumo.

piscina.11
Fonte da imagem site: Sol&ar.

Nesta imagem acima, é um modelo com LED com sistema RGB (red, green and blue) com painel e controle remoto que permitem programar a coloração da luz para ficar rotacionando as cores dentro das derivações do RGB. Mas se você preferir, um dia ela pode ficar somente azul, no outro lilás, no outro âmbar… dependendo do evento. Ok, ok… você não gosta da troca de cores? Tudo bem, pode deixar uma cor apenas, o azul ou o branco que são os mais tradicionais.
Nas imagens abaixo você pode verificar o efeito de luz pontual dentro da piscina e na cascata.

piscina.05Fonte da imagem site: mediacache.

piscina.02Fonte da imagem site: Home DSGN.

piscina.04Fonte da imagem site: Contemporist.

piscina.09Fonte da imagem site: Blue Haven Pools.

  • SideLight ou fita de borda com fibra ótica:

O sidelight é uma fita que contorna a borda da piscina e não transmite energia elétrica. O interessante deste material é efeito de “contorno” como um balizador e transmite um efeito de luz mais homogêneo na água. Veja nessas três imagens abaixo o efeito de acabamento.

piscina.10Fonte da imagem site: Blue Haven Pools.

piscina.07Fonte da imagem site: Blue Haven Pools.

piscina.08Fonte da imagem site: Blue Haven Pools.

  • Refletor com fibra ótica ou EndLight:

O EndiLight é um embutido para piscina com fibra ótica, essa fibra é o elemento que conduz a iluminação, enquanto a fonte de luz fica na casa de máquinas, facilitando a manutenção e tranquilizando o usuário da piscina em não receber condução energética ou térmica. O efeito de luz na água fica com um aspéctico “gelatinoso”, diferente das primeiras imagens que vimos aqui no post. Este equipamento também possível as trocas de cores.

piscina.03Fonte da imagem site: DesignRulz

piscina.12Fonte: Fasa.

  • Spots com Par 38 Dichro Blue:

Essa solução é interessante para quem já tem a piscina instalada e quer um efeito de luz na mesma. Esse spot com a lâmpada Par 38 dichro blue é próprio para área externa. É necessário instalá-lo num local alto e direcionar o spot de modo refletir a luz na água. Seu efeito de luz é na cor azul.

piscina.13Fonte da imagem site: La Lampe.

  • Luminárias lúdicas:

Uma forma alternativa e lúdica de iluminar piscinas, são as luminárias soltas com fonte de luz de LED com bateria. É prático e charmoso.

piscina.01Fonte da imagem site: Home Concept Decoration.

  • Efeito espelho d’água:

E se você preferir, pode optar pelo efeito espelhado. Neste caso não é necessário luminária aquática, porém só funciona se o revestimento da piscina for escuro. Neste caso trabalha-se muito bem a iluminação no jardim, juntamente com o projeto paisagístico. Assim, toda a iluminação que acontece no jardim é refletida na lamina d’água.

ld-1Fonte da imagem site: Light Design.

O “ABC” dos Arquitetos.

In Notícias on 4 de fevereiro de 2013 at 7:00

Fonte do video site: Yatzer

Conceito e animação: Andrea Stiga, Federico Gonzalez.
Direção de Arte: Federico Gonsalez
Música”The Butterfly” de Eugene C.Rose e George Ruble, (Creative Commons).

Para começar esta segunda feira não teremos “imagem do dia”, e nem algo ligado diretamente com “iluminação”, mas sim um video com o ABC dos Arquitetos.

A. Alvar Aalto: Säynätsalo Town hall, Finland.
B. Luis Barragán: Satellite Towers, Mexico city.
C. Santiago Calatrava: Satolas airport railway station, Lyon, France.
D. Luís Domènech i Montaner: Antoni Tàpies foundation, Barcelona.
E. Eduardo Souto de Moura: Paula Rego’s House of Stories, Cascais, Portugal.
F. Norman Foster:  London City Hall, England.
G. Frank Gehry: Guggenheim Bilbao, Spain.
H. Herzog & de Meuron: Beijing National Stadium, China.
I. Arata Isozaki: Palau Sant Jordi, Barcelona.
J. Philip Johnson: The Glass House, New Canaan, United States.
K. Louis Kahn: National Parliament of Bangladesh, Dhaka city.
L. Le Corbusier: Villa Savoye, Poissy, France.
M. Ludwig Mies van der Rohe: Barcelona Pavilion, Spain.
N. Oscar Niemeyer: National Congress of Brazil, Brasíl.
O. Joseph Maria Olbrich: Secession building, Vienna, Austria.
P. César Pelli: Petronas Twin Tower, Kuala Lumpur, Malaysia
Q. Giacomo Quarenghi: the Smolny Institute, St. Petersburg, Russia.
R. Renzo Piano + Richard Rogers: Pompidou Centre, Paris, France.
S. Álvaro Siza: Ibere camargo foundation, Porto Alegre, Brazil.
T. Kenzo Tange: Tokyo Olympic Stadium, Japan.
U. Jørn Utzon: Sydney Opera House, Australia.
V. William Van Alen: Chrysler Buildin, New York, United States.
W. Frank Lloyd Wright: Guggenheim New York, United States.
X. Iannis Xenakis: Philips pavilion, Expo ’58 in Brussels.
Y. Minoru Yamasaki: World Trade Center, New York, United States.
Z. Zaha Hadid: The Pierres Vives building, Montpellier, France.

Projeto luminotécnico = ÁREA DE SERVIÇO

In Efeitos de iluminação on 3 de fevereiro de 2013 at 18:05

laundry.21Fonte da imagem site: Ballard Designs

Na área de serviço não preciso nem dizer que a iluminação requer um cuidado especial, principalmente ligado a limpeza, certo?

Para iniciar, a iluminação indicada é trabalhar no mínimo com 300 lux ou mais e temperatura de cor cor 4.000k. Pois aqui exigimos claridade e limpeza.

Bom, além disso fiz uma coletânea de fotos para inspiração na hora do projeto para este ambiente, ligando a funcionalidade com um bom design e asas a imaginação para decorar sem deixar que esse espaço seja todo branco e “sem graça”.

Abaixo algumas fotos com exemplo de luminárias embutidas, direcionadas para as áreas funcionais como maquinários e bancada.

laundry.04Fonte da imagem site: Decorpad.

laundry.01Fonte da imagem site: Sarah.

laundry.03Fonte da imagem site: Decorpad.

laundry.05Fonte da imagem site: Decorista daydreams.

laundry.17Fonte da imagem site: Layout A3

laundry.16Fonte da imagem site: Acervo de Interiores.

laundry.15Fonte da imagem site: Vidrado.

laundry.14Fonte da imagem site: Já para casa.

laundry.13Fonte da imagem site: Casa Abril.

laundry.12Fonte da imagem site: Charleighmims

laundry.10Fonte da imagem site: Pinterest.

Para quem não tem a possibilidade de fazer rebaixo de gesso e o ponto central é a única solução, ai vai algumas idéias de luz central com plafons, pendentes e até mesmo lustre. Que deixaram o ambiente mais descontraído. Neste caso tome muito cuidado com o tipo de lâmpada, mesmo sendo um ponto central, o mesmo tem que corresponder a quantidade de luz necessária.

laundry.06Fonte da imagem site: Apartament Therapy.

laundry.08Fonte da imagem site: Mittlivplandet.

laundry.11Fonte da imagem site: Tip Junkie.

A iluminação natural é fundamental neste ambiente. Tendo possibilidade no projeto, dê preferências a grandes aberturas e qualidade na quantidade luz. Assim também irá garantir um ambiente arejado e saudável.

laundry.09Fonte das imagens sites: Alana Tenório Arquitetura e Home Design Inspiration.

laundry.19Fonte da imagem site: Pinterest.

Estas imagens abaixo considero projetos mais alternativos, em que  a solução foi encontrada com arandelas e deram um charme especial para este ambiente.

laundry.07Fonte da imagem site: Decorpard.

laundry.18Fonte da imagem site: Casa + Decoração ao seu alcance.

E para finalizar, um toque especial com abajur. Ficou um clima vintage e agradável.

laundry.20Fonte da imagem site: Vignette Design.

11.12.12 DIA DO ARQUITETO.

In Notícias on 11 de dezembro de 2012 at 12:08

Dia-do-Arquiteto.11.12

“A arquitetura é o jogo sábio, correto e magnífico dos volumes dispostos sob a luz.”
(Le Corbusier)

Feliz dia do arquiteto.

Casa Nobis – Luz Natual

In Iluminação natural on 23 de janeiro de 2012 at 10:22

A casa Nobis fica em Munique na Alemanha. Sua arquitetura é simplesmente madeira e vidro, afim de maximizar o uso da iluminação natural. Os ambientes são integrados e contemplam com uma abertura zenital, onde ao longo do dia o espaço usufrui de luz natural e para o período noturno há placas refletoras para produzir uma iluminação indireta e aconchegante para o espaço.  A casa é dividida em dois retângulos mas que se unem por uma passagem central.

Como a casa fica nas proximidades de um lago houve a necessidade de afastar a casa do solo cerca de 60 centímetros.  Um solução que esteticamente no período noturno a torna mais bela, com lâmpadas fluorescentes tubulares aplicadas no contorno da casa, dando a impressão de estar “flutuando”.

Fonte das imagens site: The Cool Hunter.

11.12.11 DIA DO ARQUITETO

In Notícias on 11 de dezembro de 2011 at 14:48

Diante de tantos livros na estante, foi difícil escolher um entre eles, e assim que escolhi um foi difícil escolher uma frase que nos cabe ao dia de hoje.

“É claro que para todos a arquitetura está sempre ligada à construção, mas nem todo mundo sabe dizer o significado dessas expressões. Também, de um certo modo, as pessoas procuram achar um vínculo entre arquitetura e a beleza e para quase todos, então, arquitetura seria a providência de uma construção bela.” (LEMOS, 1989, p. 07).

“… Platão ligava a arquitetura à logica das construções – a arquitetura não seria uma aparência das coisas, mas a coisa em si própria. Dizia ele: “arquitetura e todas as artes manuais implicam numa ciência, por assim dizer, sua origem na ação e produzem coisas que só existem por causa delas e não existiam antes.” Essas, coisas, ou melhor, essas construções, baseadas na melhor utilização possível dos blocos de mármore, aliavam a tecnologia de uma indiscutível intenção plástica, que ia até os requintes das deformações corretoras das ilusões ópticas, definindo, assim, a crição artística. logo depois, Aristóteles corroborava esse pensamento de seu mestre dizendo que a arte da arquitetura era o “resultado de certo gênero da produção esclarecida pela razão”… (LEMOS, 1989, p. 23-24).

FELIZ DIA DO ARQUITETO