Blog sobre Iluminação, Arquitetura, Design

Posts Tagged ‘sanca invertida’

Detalhe de gesso no projeto luminotécnico_02

In Projeto luminotécnico on 4 de fevereiro de 2013 at 10:00

gesso_04

gesso_12

Ok, eu confesso uma queda irresistível por sancas divergentes. E esse projeto super me conquistou, eu morri de amores e você, o que achou?

Rebaixo de forro com gesso deixa o teto “limpo” minimizando o excesso de informação e permite uma ótima liberdade na distribuição dos pontos luminotécnicos. Por isso gosto de apresentar aqui no blog soluções com gesso, que você pode conferir nos seguintes post: Detalhe de gesso no projeto luminotécnico_01 e Detalhe de gesso.

E este projeto apresentado neste post por ILMIODESIGN tinha como principal partido projetual valorizar as obras de arte e design dos proprietários. E assim foi realizado nas áreas comuns do apartamento distribuido as peças. E a iluminação com esse desenho de sanca divergente tem a função de guiar o caminhar e o olhar para as obras. O mais interessante do detalhe de gesso são os cantos que não foram desenhados em ângulos retos como o comum. E ai que eu me derreti pelo projeto, essa curva no encontro de linhas verticais e horizontais ficou muito charmoso e suave. Com certeza o profissional que executar esse projeto tem que ter muita habilidade e zelo pelo trabalho para que o resultado final seja satisfatório.

Neste caso, as lâmpadas fluorescente tubulares farão sombra nos cantos curvos. Para evitar que isso aconteça, com certeza as fitas de LED concluirão com um bom resultado.

gesso_11

gesso_05

gesso_10

gesso_09

gesso_07

gesso_06

gesso_19

Nesta imagem acima foi utilizado lâmpadas linestras, perfeitas para área de espelho proporcionando o “efeito de camarim”.

gesso_18

gesso_17

gesso_20

gesso_16

gesso_15

gesso_14

gesso_13

gesso_03

gesso_02

gesso_01

Essa iluminação indireta no rodapé é muito funcional, além de balizar o caminho, é possível deixa-lo ligado durante o período noturno.

gesso_08Fonte das imagens site: Home DSGN

Anúncios

FORRO DE MADEIRA: como projetar o luminotécnico?

In Efeitos de iluminação on 24 de agosto de 2012 at 16:23

Os projetos luminotécnicos atualmente tem como base uns 80% em que o forro é de gesso. Até pela praticidade de aplicação, mudança de ponto elétrico ou estéticamente mais “limpo”, clean. Então quando surge um projeto em que o forro é de madeira, ou melhor ainda, forro de madeira e inclinado,  ai sim começa o desafio de como solucionar o desenho da luz. Tudo vai depender também em que momento começou a se projetar o luminotécnico, se o projeto já nasce junto com os outros projetos como, hidráulico, estrutura e afins, é mais fácil porque toda a tubulação e fiação será instalada de acordo com o projeto específico. Mas se a casa já estiver pronta e o luminotécnico não foi feito de acordo com o layout do ambiente, como fazer?

Bem, primeiramente calma, e vamos analisar o que temos disponível no mercado para compor esteticamente no projeto. Quem opta por forro de madeira, é porque gosta da sua estética, de deixar a cor da madeira evidente, então as luminárias não poderão ser no acabamento branco, exceto se há alguma composição ou algum desenho que componha, fora isso, com certeza não ficará com um bom resultado. Imagine um forro escuro com as molduras das luminárias no acabamento branco. Imaginou? Então neste caso temos outras opções como o acabamento preto ou marrom (marrom é muito difícil de encontrar um  fornecedor), mas é o mais discreto, se esta for a proposta.

Nas imagens acima são luminárias embutidas para dicróica direcionável, mas encontra-se para todos os tipos de lâmpadas halógenas como: PAR 16, PAR 20, PAR 30, PAR 38, AR 48, 70 e 111 e entre outras.  Uma dica de praticidade em obra se optar por luminárias embutidas é escolher luminárias no formato redondo, ou o furo de encaixe redondo, mesmo que a moldura seja quadrada. O recorte quadrado na madeira exige muita habilidade  e delicadeza na  furarção. Equanto o recorte redondo o instalador pode usar uma serra copo no diâmetro específico.

Em alguns casos que não há possibilidade de fazer furos no forro, pode-se optar pelos spots externos. Mantendo o mesmo detalhe de cor de acabamento sendo preto ou marrom. Ou se for trabalhar com algo mais arrojado, então que a peça demonstre seu ar de design.

Fonte da imagem site: Altena.

Fonte da imagem site: Fabbian.

Ainda na família dos spot, tem a solução com os trilhos. É  uma espécie de calha eletrificada que permite que vários spots percorram a extensão desse trilho. Isso dará mais versatilidade também quando houver alguma mudança na casa, como mudar o layout ou mudar um quadro, é só “correr” o spot no trilho e redirecioná-lo.

Fonte da imagem site: Fabbian.

Para alguns exemplos mais práticos seguem imagens de projetos prontos.

Fonte da imagem site: Plafatorma Arquitectura.

Este é um exemplo em que comentamos acima, onde a moldura da luminária é no acabamento em branco e quadrado. Justificado pelo desenho geométrico que foi realizado no forro que faz composição com o mesmo.

Fonte das imagens site: Fabbian.

Neste projeto acima, foi utilizado luminárias embutidas com o acabamento transparente (cristal), que valoriza o forro de madeira e observa-se somente o ponto de luz.

Fonte das imagens site: Casa e Cia.

Fonte das imagens site: Arco Web.

Este efeito da imagem acima é muito interessante para valorizar o material do forro. Fica mais em evidência. No entanto, não é uma superfície refletora, ele absorve a luz, então deixa o ambiente com efeito de penumbra, que no caso deste projeto, que é um restaurante, a proposta é deixar o ambiente mais intimista.

Fonte das imagens site: Light Design.

As arandelas também são excelentes soluções para um projeto luminotécnico com forro de madeira e inclinado, pois a luz se projeta de forma indireta, valorinado o material. Nesta imagem acima é um quiosque com cobertura de palha, então o efeito de luz indireta o valoriza com mais ênfase.

Fonte da imagem site: Dezeen.

Fonte das imagens site: Dezeen.

Fonte das imagens site: Dezeen.

Embutidos quadrado, com vidro para um efeito de luz difusa com lâmpadas fluorescentes.

Fonte das imagens site: Dezeen.

Fonte da imagem site: Dezeen.

Fonte das imagens site: Luz & Design.

Este projeto da imagem acima é diferente de tudo que já comentamos nesse post. Aqui o forro de madeira torna-se o centro de interesse, pois no gesso foi feito uma sanca de luz indireta, jogando a luz para o revestimento de madeira.

Fonte das imagens site: Daarna Studio.

Detalhe de gesso

In Efeitos de iluminação on 4 de abril de 2010 at 1:22

O forro de gesso permite que o teto fique mais “limpo” e clean, pois as luminárias ficam embutidas no gesso e o acabamento fica reto com a linha do gesso. O gesso é um elemento muito funcional para um projeto luminotécnico, pois deixa-o também independente das luminárias existente no mercado e permite uma livre criatividade de forma e função conforme o resultado esperado. Os detalhes mais comuns utilizado nos dias de hoje são os rasgos e sancas invertidas, como meio de luz pode-se usar fluorescentes tubulares, mangueiras luminosas ou fitas de led. Outras soluções também adotadas são os cortineiros, que também podem ser iluminados por fluorescentes, mangueiras, led e mini dicróica.

Fonte da imagem site: Arte e Gesso JB.
Neste projeto foi proposto rasgos de luz de forma que remetesse a um pergolado, e como fonte de luz foi utilizado lâmpada fluorescente.

Fonte da imagem site: Arte e Gesso JB.
Neste ambiente o gesso foi explorado de diversas formas, servindo para luminárias embutidas, rasgos e rebaixo duplo com fluorescente permitindo a luz indireta. Aproveitando a descrição da iluminação deste ambiente, temos ainda um plafon central como luz difusa, os pendentes com cúpula cilíndrica nas laterais da cama e no painel de cabeceira da cama foi projetado de parede a parede com meia altura e afastado da parede com luz indireta “soltando”o painel da parede.

Fonte da imagem site: Gesso Virtual.
Nesta sala de jantar foi trabalhando no gesso uma sanca invertida próximo da parede e um rasgo central com fechamento em vidro jateado, remetendo a uma luz de clarabóia.

Fonte da imagem site: Santos e Santos.
No site não havia indicação de que material foi feito este arco, mas fica como dica ou inspiração de como explorar o gesso.  Aproveitou-se aqui colocar laser mini dicróica em cima da mesa de jantar, e próximo da parede ponto para balizar o caminho.

Fonte da imagem site: Santos e Santos.
Procurando as imagens encontrei esse bar, achei fantástica a solução que os arquitetos propuseram, um detalhe de gesso como luz difusa, e dentro desse recuo foi instalado garrafas de vidro.

Fonte da imagem site: Santos e Santos.
O detalhe de gesso neste local foi feito apenas um sulco, ou seja um recuo em linha reta para delimitar a área de instalação de luminárias.

Fonte da imagem site: Santos e Santos.
Outro ambiente comercial onde o gesso foi explorados de de diversas maneiras ã comportar a iluminação, no pavimento térreo tem-se um rasgo de luz e no pavimento superior o gesso serve para embutir as luminárias e também como sanca invertida.

Fonte da imagem site: Santos e Santos.
O quarto com o teto verde ressaltou o detalhe de rasgo de luz.

Fonte da imagem site: Santos e Santos.
Outro exemplo de rasgo de luz, é uma forma de distribuir bem  a iluminação e de forma indireta.

Fonte da imagem site: Santos e Santos.
Com um detalhe um pouco mais ousado, o detalhe do gesso se faz por uma forma oval e o rasgo de luz atravessa esse detalhe.

Fonte da imagem site: Santos e Santos.
Na imagem acima vê-se que a iluminação esta de forma periférica, deixando o centro do teto limpo, sem luminárias. E ao fundo, junto ao cortineiro uma sanca invertida com luz amarela. Para dar esse tom de amarelo pode-se usar mangueira luminosa, que uma luz mais suave, ou usar fluorescente tubular com filtro âmbar.

Fonte da imagem site: Santos e Santos.
Neste quarto o detalhe do gesso acompanhou a área de cortina, e como iluminação usou-se pontos focais, que podem ser com dicróicas ou mini dicróicas de 10graus.

Fonte da imagem site: Dezeen
Para esse  efeito de clarabóia, que da a impressão de luz natural, pode ser feito o corte no gesso, como fonte de luz usar as fluorescente tubulares e no fechamento vidro ou acrílico.

Fonte da imagem site: Dezeen
No site onde encontrei essa imagem não estava especificado o tipo de material que foi usado no teto, mas sua geometria e solução de luz artificial ficou interessante e nos vale com dica.

Fonte da imagem site: Dezeen

Fonte da imagem site: Dezeen

Fonte da imagem site: Dezeen
Para esse feito de luz indireta na parede pode-se usar vários tipos material, dentre eles MDF ou mesmo o gesso, desde que projetado para alojar as lâmpadas fluorescentes na parte de trás do painel.

Fonte da imagem site: Dezeen
Para este painel de luz pode ser usado o próprio gesso e embutir as luminárias.

Fonte da imagem site: Dezeen

Fonte da imagem site: Dezeen
Com um desenho mais ousado e orgânico, as linhas que circulam o teto descem pelas paredes enfatizando o desenho e rasgo de luz.