Blog sobre Iluminação, Arquitetura, Design

Search for “mesa de jantar”

Lustre para mesa de jantar_02

In Luminária decorativa on 28 de agosto de 2012 at 21:35

Já falamos aqui no blog sobre tipos de luminárias e sobre pendentes e lustres para mesa de jantar. Hoje fiz uma coletânea de 100 imagens para servir de repertório de projeto. Divirtam-se e inspirem-se.

Fonte das imagens acima site: S.A.S Interiors.

Fonte das imagens acima site: Mel Morena.

Fonte das imagens acima site: Casa de Colorir.

E para finalizar o repertório de hoje, com Karim Rashid.
Fonte das imagens acima site: Latest Furniture Trends.

 

Anúncios

Lustre para mesa de jantar_01

In Luminária decorativa on 17 de março de 2010 at 16:00

Bem, o lustre ou o pendente é um elemento complementar na iluminação, muitas das vezes ele entra como um artigo decorativo, por isso é bom se atentar no contexto geral do ambiente para fazer a melhor escolha da peça, adequando ao ambiente com estilo, cor, proporção e composição. Para melhor conforto no uso do pendente, é indicado para a instalação do mesmo uma altura de 90cm a 100cm, contando do tampo da mesa até o inicio da peça.

Fiz uma pequena seleção de fotos para se inspirarem. Nesses ambientes você vai perceber que não existe muita regra restrita, vale mesmo é o bom gosto e a criatividade.

Fonte da imagem site: La Lampe.
Pode-se usar um pendente apenas na mesa de jantar, mesmo sendo geometrias diferentes.

Fonte da imagem site: La Lampe.
Uma composição com três peças iguais, essa é uma forma de criar mais evidencia e destaque para o design da peça.

Fonte da imagem site: La Lampe.
Uma peça única com o diâmetro próximo ao tampo da mesa.

Fonte da imagem site: La Lampe.
Pendente linear proporcionando uma iluminação homogênea na bancada de refeições.

Fonte da imagem site: La lampe.

Fonte da imagem site: La lampe.

Fonte da imagem site: La lampe.
Pendente articulado com cúpula.

Fonte da imagem site: La Lampe.
Duas luminárias de pé com articulação e cúpula.

Fonte da imagem site: Vistosi.
Composição de dois pendentes numa mesa retangular.

Fonte da imagem site: Vistosi.

Fonte da imagem site: Vistosi.

Fonte da imagem site: Vistosi.

Fonte da imagem site: Vistosi.

Fonte da imagem site: Vistosi.

Fonte da imagem site: Vistosi.

Fonte da imagem site: Ana Claudia Cavalcanti.

Fonte da imagem site: Ana Claudia Cavalcanti.

Fonte da imagem site: Ana Claudia Cavalcanti.

Fonte da imagem site: Ana Claudia Cavalcanti.
Nesta bancada a escolha do pendente como forma e design tem uma boa composição com o ambiente por um todo, mas é um tipo de peça que com certeza irá precisar de outros tipos de fonte de iluminação para que não fique somente meia luz.

Fonte da imagem site: Ana Claudia Cavalcanti.

Fonte da imagem site: Ana Claudia Cavalcanti.
Um ambiente mais dinâmico e alegre foi proposto uma composição de três pendente com cores distintas e posicionada de forma assimétrica em relação a posição da mesa.

Fonte da imagem site: Ana Claudia Cavalcanti.
Lustre com leitura de um estilo mais clássico.

Fonte da imagem site: Ana Claudia Cavalcanti.

Fonte da imagem site: Ana Claudia Cavalcanti.

Fonte da imagem site: Ana Claudia Cavalcanti.

Fonte da imagem site: Ana Claudia Cavalcanti.

Fonte da imagem site: Ana Claudia Cavalcanti.

Fonte da imagem site: Ana Claudia Cavalcanti.

Fonte da imagem site: Ana Claudia Cavalcanti.

Fonte da imagem site: casa.com.

Fonte da imagem site: casa.com.

Fonte da imagem site: casa.com.

Fonte da imagem site: casa.com.

Fonte da imagem site: casa.com.

Fonte da imagem site: casa.com.

Fonte da imagem site: Casa e Jardim.

Fonte da imagem site: Casa e Jardim.

Fonte da imagem site: Casa e Jardim.

Fonte da imagem site: Casa e Jardim.

Fonte da imagem site: Casa e Jardim.

Fonte da imagem site: Casa e Jardim.

Fonte da imagem site: Casa e Jardim.

Fonte da imagem site: Casa e Jardim.

Fonte da imagem site: Acervo de Interiores.

Fonte da imagem site: Acervo de Interiores.

Fonte da imagem site: Acervo de Interiores.

Fonte da imagem site: Acervo de Interiores.

Fonte da imagem site: Acervo de Interiores.

Fonte da imagem site: Acervo de Interiores.

Fonte da imagem site: Acervo de Interiores.

Fonte da imagem site: Acervo de Interiores.

ARANDELA

In Informções técnicas, Projeto luminotécnico on 19 de agosto de 2013 at 19:48

arandela

Já comentamos aqui no blog muito sobre luminárias de leitura, abajur, pendente para mesa de jantar e balizadores. Hoje iremos dar a vez para falar das arandelas. Essas luminárias, como comentado no post “tipos de luminárias“, elas são instaladas na parede. No mercado há uma infinidade de soluções e estilos das peças, de acordo com a finalidade da sua arquitetura ou sua decoração. Vamos conferir algumas?

Arandela arquitetural: é quando a luminária tem função apenas de desenhar a luz, e não de impor alguma decoração. Geralmente essas peças são da mesma cor que a parede e tem suas formas e linhas mais limpas e linear, sem muita informação. Normalmente essas peças são escolhidas para usar na área externa, mas nada impede de usá-las no interior também.

arandelaFonte da imagem site: Escritório da Luz

 Essa luminária acima produz uma luz indireta e não faz marcação do desenho da luz, apenas distribui de forma difusa.

arandelaFonte da imagem site: Art Luz

Já essas arandelas da imagem acima “desenha a luz”. No mercado você encontra ela com o facho fechado, aberto ou difuso. Neste caso é facho fechado para baixo e aberto para cima. E a partir disso você contruibui com a sua criação.

 arandela

arandelaFonte da imagem site: Home dit

Vejam algumas imagens de fachadas externas e outras na área interna com o “desenhar a luz”.

arandelaFonte da imagem site:  Light Design.

arandelaFonte da imagem site: Geo Cerâmica.

arandela

arandelaFonte da imagem site: architecturelover

Arandela decorativa: é quando a luminária em si se destaca mais do que a própria luz. Isso não quer dizer que a luz não será charmosa ou funcional, será sim, mas o intuito inicial é que a peça seja um elemento decorativo.

arandelaFonte da imagem site: Ingo Maurer

arandela Fonte da imagem site: Ingo Maurer

Arandelas spots: Essas peças agregam valor decoração e são muito funcionais, pois a luz se posiciona para uma função específica como aparador, bancadas e mesas. Algumas vezes elas podem direcionar a um quadro, na impossibilidade de colocar um spot no teto.

arandelaFonte da imagem site: A cup of jo

arandelaFonte da imagem site: Pinterest.

arandelaFonte da imagem site: Pinterest.

Arandelas para leitura: São peças muito funcionais, pois liberam espaço de alguma mesa lateral para outros materiais e podem ser articuladas, forçando o direcionamento para a leitura propriamente dita.

arandelaFonte da imagem: Pinterest.

arandelaFonte da imagem site: Fancy.

arandelaFonte da imagem site: Pinterest.

Bom projeto!

arandela

Uma ousada casa de campo.

In Projeto luminotécnico on 6 de fevereiro de 2013 at 7:00

cottage_01

O conceito do designer holandês  Joris van Grinsven  é decorar uma casa sem perder o estilo e a essância da arquitetura presente, seja ela um casarão antigo, um castelo ou um celeiro. As marcas da história continuam ali presente, exalando a magia do passando interagindo com o presente.

“O estilo de vida diária dos meus clientes é o que determina o projeto para suas casas.” 

“Respeito a função original da arquitetura do edifício, é o ponto de partida. Você pode viver fantasticamente em um celeiro, em uma capela, num castelo ou em uma casa. Um celeiro continua a ser um celeiro, uma capela nunca se torna um castelo e uma casa é uma casa. “

“Móveis é um elemento determinante. Uma cama vira um quarto, uma mesa de jantar vira uma sala de jantar e uma bancada de cozinha faz uma cozinha. “

“Em última análise, trata-se de uma combinação de pensamento lógico, conhecimento, honestidade, criatividade e meu compromisso com o cliente.” (Joris van Grinsven)

E agora confiram um dos projetos proposto por Joris. Essa casa de campo toda branquinha que cria um cenário de fundo figura destacando o mobiliário clássico/moderno/arrojado. E observem também como a iluminação foi projetada, ora embutida toda discreta, ora toda se exibindo de luminárias de piso, arandelas e lustres rebuscados.

cottage_10

cottage_05

cottage_02

cottage_16

cottage_09

cottage_11

cottage_07

cottage_06

cottage_04

cottage_13

cottage_08

cottage_03

cottage_12

cottage_14

cottage_15Fonte das imagens site: Etxekodeco.

Decorar com vela

In Efeitos de iluminação on 14 de novembro de 2012 at 9:00

Além da iluminação natural e a energia elétrica como fonte de luz, temos também as antigas e tão atuais charmosas velas para decorar e iluminar um ambiente. É uma luz suave, aconchegante e deixa o ambiente com uma atmosfera intimista. Em alguns momentos as velas podem substituir a luz de um abajur ou de im pendente na mesa de jantar. Fiz uma coletânea de imagens com ambientes decorados com velas que ficam como inspiração. Pois as velas não precisam ser usadas somente na falta de energia elétrica ou num jantar romântico, as velas podem trazer outros efeitos esperado e ser usados no dia a dia.

Fonte das imagens site: Pinterest.

Detalhe de gesso

In Efeitos de iluminação on 4 de abril de 2010 at 1:22

O forro de gesso permite que o teto fique mais “limpo” e clean, pois as luminárias ficam embutidas no gesso e o acabamento fica reto com a linha do gesso. O gesso é um elemento muito funcional para um projeto luminotécnico, pois deixa-o também independente das luminárias existente no mercado e permite uma livre criatividade de forma e função conforme o resultado esperado. Os detalhes mais comuns utilizado nos dias de hoje são os rasgos e sancas invertidas, como meio de luz pode-se usar fluorescentes tubulares, mangueiras luminosas ou fitas de led. Outras soluções também adotadas são os cortineiros, que também podem ser iluminados por fluorescentes, mangueiras, led e mini dicróica.

Fonte da imagem site: Arte e Gesso JB.
Neste projeto foi proposto rasgos de luz de forma que remetesse a um pergolado, e como fonte de luz foi utilizado lâmpada fluorescente.

Fonte da imagem site: Arte e Gesso JB.
Neste ambiente o gesso foi explorado de diversas formas, servindo para luminárias embutidas, rasgos e rebaixo duplo com fluorescente permitindo a luz indireta. Aproveitando a descrição da iluminação deste ambiente, temos ainda um plafon central como luz difusa, os pendentes com cúpula cilíndrica nas laterais da cama e no painel de cabeceira da cama foi projetado de parede a parede com meia altura e afastado da parede com luz indireta “soltando”o painel da parede.

Fonte da imagem site: Gesso Virtual.
Nesta sala de jantar foi trabalhando no gesso uma sanca invertida próximo da parede e um rasgo central com fechamento em vidro jateado, remetendo a uma luz de clarabóia.

Fonte da imagem site: Santos e Santos.
No site não havia indicação de que material foi feito este arco, mas fica como dica ou inspiração de como explorar o gesso.  Aproveitou-se aqui colocar laser mini dicróica em cima da mesa de jantar, e próximo da parede ponto para balizar o caminho.

Fonte da imagem site: Santos e Santos.
Procurando as imagens encontrei esse bar, achei fantástica a solução que os arquitetos propuseram, um detalhe de gesso como luz difusa, e dentro desse recuo foi instalado garrafas de vidro.

Fonte da imagem site: Santos e Santos.
O detalhe de gesso neste local foi feito apenas um sulco, ou seja um recuo em linha reta para delimitar a área de instalação de luminárias.

Fonte da imagem site: Santos e Santos.
Outro ambiente comercial onde o gesso foi explorados de de diversas maneiras ã comportar a iluminação, no pavimento térreo tem-se um rasgo de luz e no pavimento superior o gesso serve para embutir as luminárias e também como sanca invertida.

Fonte da imagem site: Santos e Santos.
O quarto com o teto verde ressaltou o detalhe de rasgo de luz.

Fonte da imagem site: Santos e Santos.
Outro exemplo de rasgo de luz, é uma forma de distribuir bem  a iluminação e de forma indireta.

Fonte da imagem site: Santos e Santos.
Com um detalhe um pouco mais ousado, o detalhe do gesso se faz por uma forma oval e o rasgo de luz atravessa esse detalhe.

Fonte da imagem site: Santos e Santos.
Na imagem acima vê-se que a iluminação esta de forma periférica, deixando o centro do teto limpo, sem luminárias. E ao fundo, junto ao cortineiro uma sanca invertida com luz amarela. Para dar esse tom de amarelo pode-se usar mangueira luminosa, que uma luz mais suave, ou usar fluorescente tubular com filtro âmbar.

Fonte da imagem site: Santos e Santos.
Neste quarto o detalhe do gesso acompanhou a área de cortina, e como iluminação usou-se pontos focais, que podem ser com dicróicas ou mini dicróicas de 10graus.

Fonte da imagem site: Dezeen
Para esse  efeito de clarabóia, que da a impressão de luz natural, pode ser feito o corte no gesso, como fonte de luz usar as fluorescente tubulares e no fechamento vidro ou acrílico.

Fonte da imagem site: Dezeen
No site onde encontrei essa imagem não estava especificado o tipo de material que foi usado no teto, mas sua geometria e solução de luz artificial ficou interessante e nos vale com dica.

Fonte da imagem site: Dezeen

Fonte da imagem site: Dezeen

Fonte da imagem site: Dezeen
Para esse feito de luz indireta na parede pode-se usar vários tipos material, dentre eles MDF ou mesmo o gesso, desde que projetado para alojar as lâmpadas fluorescentes na parte de trás do painel.

Fonte da imagem site: Dezeen
Para este painel de luz pode ser usado o próprio gesso e embutir as luminárias.

Fonte da imagem site: Dezeen

Fonte da imagem site: Dezeen
Com um desenho mais ousado e orgânico, as linhas que circulam o teto descem pelas paredes enfatizando o desenho e rasgo de luz.

Tipos de luminárias

In Iluminação, Luminária decorativa, Tipo de luminária on 7 de janeiro de 2010 at 14:52

Para um bom projeto luminotécnico temos que ter conhecimento ou ao menos noção em tudo que envolve a iluminação, que corresponde desde o tipo de luminária, tipo de lâmpada, potência, efeito desejado, lúmens e parte elétrica. É importante saber os tipos de luminárias para fazer a especificação correta, hoje nada tem muita regra restrita na escolha do tipo de luminária, desde que não prejudique no efeito luminotécnico. Verificar na obra, ou no projeto se o teto será laje ou gesso, o que irá facilitar a escolha da luminária certa.
É importante também considerar se é ambiente interno ou externo, e consultar com o fornecedor do produto se o mesmo é adequado ou não para o local desejado. A seguir, alguns tipos de luminárias existentes:

Plafon – luminária que geralmente é instalada bem próxima ao teto e serve como peça central do ambiente. Temos dois tipos de efeitos de iluminação causados pelo plafon, dependendo do material ele produz um efeito de luz indireta ou difusa.

Plafon Remod com luz indireta da Light Design. A luz irradia diretamente no teto (recomenda-se que seja de cor clara) e posteriormente reflete no ambiente criando menos sombra e uma luz agradável aos olhos. Lumininária ideal para quartos e salas.

Plafon com luz difusa, o vidro permite uma luz geral no ambiente, deixando-o todo iluminado sem efeitos de luz e sobra.

Embutido – esse tipo de luminária é uma peça para embutir no gesso. Os tipos de embutidos são diversos, existem com fechamento em vidro ou acrílico para lâmpadas fluorescentes compactas ou incandescentes; embutidos sem fechamento para lâmpadas halógenas; e embutidos direcionáveis ou não. A grande vantagem dessas luminárias é a sensação de ambiente mais limpo e clean, pois o teto fica mais “liso”.

Embutido Inside quadrado da Light Design.

Embutido Orus da Light Design.
Os embutidos no gesso dão o acabamento rente ao forro.

Pendente – é uma peça funcional, mas às vezes pelo seu design pode ser uma peça mais decorativa. Esta luminária fica “pendurada” por fios elétricos ou algumas vezes acompanhada de cabo de aço em função do peso da peça.  Essas peças são usadas geralmente em bancadas, mesas de refeições, laterais de camas, mezaninos e etc.

Pendente Big Flower Pot (1971) por Verner Panton, pendente decorativo, funcional e estécico com com luz indireta. A inspiração de Verner para essa peça é o movimento Op Art e da Arte Cinética, um estilo um tanto psicodélico de grande popularidade no final dos anos 60.

Pendente XXL Dome (1998) por Ingo Maurer, com estrutura de fibra de vidro, metal e aço inoxidável, 180 cm de diâmetro. O interior do refletor é esmaltado de rosa, laranja, vermelho ou verde fluorescente.

Lustre – peça decorativa, geralmente é o centro de interesse de algum ambiente, como sala de jantar, hall de acesso ou mesmo mezanino. Dependendo do modelo do lustre pode ser a iluminação geral do ambiente, mas na maioria das vezes é uma peça complementar na decoração.

Lustre Light Shade Shade (1999) por Jurgen Bey da Moooi. Uma luminária que brinca com o estilo clássico (com lustre dourado e cristais pendurados) e com o estilo moderno (com a cúpula semi-translúcida).

Spot – é uma luminária com aspecto mais funcional, pois é uma peça direcionável, mas temos de tomar cuidado ao usar essa peça para que tenha seu uso adequado. Pois esse tipo de luminária não ilumina um ambiente inteiro como luz geral, como dito anteriormente ele é focal, ideal para quadros ou objetos de artes. Outro detalhe importante é o uso adequado das lâmpadas, se for para quadros usar dicróica, ou se for escultura, por exemplo, usar lâmpadas da família AR. Outro cuidado é com a estética, não colocar lâmpadas que fiquem para fora da luminária, a não ser que o design da peça permita essa ousadia, pois acaba dando destaque para a Lâmpada e não para a peça. Existem alguns spots com design bem diferenciado.

Luminária Beluga da Fabbian, empresa italiana. O design é leve, moderno e além disso muito funcional.

Trilho – o trilho na verdade não é a luminária propriamente dita, ela é uma barra eletrificada que permite o uso dos spots direcionáveis (mencionados acima). Esse tipo de peça é ideal para galerias , pois permite uma linha única de luminárias sendo que cada ponto tem flexibilidade de locomoção e redirecionamento. Cuidado ao usar esse tipo de peça em closets, pois como é uma luz focal, ela tem maior efeito de luz e sombra, e isso prejudica na escolha das roupas no closet. Por outro lado, em galerias de artes é o tipo de iluminação mais usado, pela funcionalidade e o efeito cênico.

Spot com trilho, uma calha eletrificada que permite a locomoção e direcionamento do spot.

Luminária de mesa – uma peça muito funcional, de design bem variado. Sua principal função é ser uma luminária de leitura apoiada nas mesas de trabalho, laterais de cama, ou em uma mesa lateral de sofá.

Tolomeo de mesa (1987) por Michele de Lucchi & Giancarlo Fassina, umas das luminárias de design de maior sucesso. Essa peça permite uma boa articulação e giro da cúpula, deixando a peça mais funcional e sua estética compõe super bem nos ambientes.

Luminária de pé – tem o mesmo objetivo da luminária mesa, mas esta por ter sua própria base, não depende de uma mesa para apoiá-la. Pode ser com finalidade de leitura ou apenas decorativa.

Arco Floor (1962) por Achille & Pier Giacomo Castiglioni. Luminária com base de mármore Carrara, com haste tipo telescópia com regulagem em três alturas diferentes. Uma peça de design que cria centro de interesse, fácil de compor com outros elementos e funcional, pois pode ser usada ao lado de uma poltrona ou mesmo na mesa de jantar, direcionando o facho de luz conforme adequação do local.

Luminária de pé Fun (1964) por Verner Panton. Discos semi-translúcidos de pedaços de conchas, criando uma iluminação mais “mágica”. Além da luminária de pé, há outras variações de mesa e de teto.

Abajur – acredito ser uma peça muito cobiçada pelo designers , pois é uma peça muito usada em ambientes residências ou comerciais. Permite uma luz ambiente que cria um clima mais aconchegante e é um elemento decorativo também.

Abajur Miss Sissi (1990) por Philippe Stark. Fabricado em policarbonato moldado por injeção e de  produção em série, disponível em sete cores translúcidas.

Abajur Panthella (1970) por Verner Panton

Arandela – esse tipo de peça sempre será instalado na parede, dependendo do material que é produzido causa efeitos diferentes. Se for elaborada com cúpula, por exemplo, ela deixa o ambiente mais aconchegante; se for com vidro ou policarbonato será uma luz mais difusa. Existem também outros modelos que permitem um desenho de luz na parede, transformando a luz numa escultura.

Arandela Dress da Vistosi.

Refletor – é uma luminária um pouco mais técnica as vezes usadas nos jardins, fachadas  ou mesmo como elemento de segurança da residência. Essa luminária como o próprio nome já diz, é um refletor, e contém uma luz forte e reflete para uma área mais ampla.

Refletor Lingotto Wall Light (1990) por Renzo Piano.

Up-light – luminária para jardim ou para vasos com plantas. Seu facho de luz é de baixo para cima, mas para um bom efeito temos de saber que tipo planta será usada para então especificar o tipo de lâmpada. Essa luminária é muito indicada também para fachadas de residências, prédios comerciais e pilares, valorizando assim sua verticalidade.

Exemplo de luminária de piso.

Balizador – como propriamente dito, essa luminária faz o efeito de luz de balizar, e não de iluminar o ambiente. Seu efeito é de direcionar o caminho, seja no jardim, ou mesmo dentro do quarto ou corredor de circulação.

Projeto Luminotécnico da Light Design com o balizador Zero.
Exemplo de iluminação de balizador em ambiente interno.

TOLOMEO

In Luminária decorativa, Projeto luminotécnico on 23 de maio de 2013 at 17:12

Luminária TolomeoLuminária Tolomeo por Michele De Lucchi Giancarlo Fassina.

“A luminária de mesa Tolomeo é um ícone do design moderno italiano. Ele foi projetado por Michele De Lucchi e Giancarlo Fassina, em 1986, para a empresa Artemide. Em sua configuração original, que consiste de uma base pesada, duas seções do braço de alumínio polido retas (cada um cerca de 45 cm de comprimento), e uma cabeça de refletor de alumínio fosco, que pode girar 360 °. Cabos de tensão de aço ligado a molas escondidas dentro dos braços completam a estrutura em constante tensão. Tolomeo é a versão italiana do nome de Ptolomeu. No período dot-com, tornou-se popular como um símbolo de consumo conspícuo e da consciência de design de alta em empresas de alta tecnologia, bem como em escritórios de arquitetura e design gráfico. Ele ganhou o Compasso d’Oro projeto prêmio em 1989″. (Fonte: Wikipedia)

Luminária Tolomeo

Este ícone na área de iluminação e design tem 27 anos girando no mercado da decoração, e ainda se mostra tão moderna, clean e versátil. A disponibilidade dessa luminária não se limita apenas na luminária de mesa, tem também na versão de piso, arandela, pendente e com acabamentos de cúpulas diferentes como: alumínio, pergaminho e as verões coloridas. Quando se usa com aluminío é para deixar uma luz mais focal, como áreas de leitura e estudo. Já com pergaminho ficam bem interessantes em salas de estar e jantar, pois deixam uma luz mais difusa e aconchegante.
Para quem tiver interesse, dê uma espiadinha no site da Artemide, e confira todas versões da luminária.

Luminária TolomeoFonte da imagem site: Design Shop.

Ai vai uma série de fotos inspiradoras que foram compostas com a Tolomeo de diversos tipos e nos mais variados ambientes. Você vai ver a luminária até na cozinha, e como ela ficou charmosa e funcional.

Luminária TolomeoFonte da imagem site: Pinterest.

Luminária TolomeoFonte da imagem site: Pinterest.

tolomeo.10Fonte da imagem site: Comtemporist.

Luminária TolomeoFonte da imagem site: Comodos

Luminária TolomeoFonte da imagem site: stil inspiration.

Luminária TolomeoFonte da imagem site: Contemporist.

Luminária TolomeoFonte da imagem site: Pinterest.

Luminária TolomeoFonte da imagem site: Pinterest.

Luminária TolomeoFonte da imagem site: Home Decor.

Luminária TolomeoFonte da imagem site: Lighttology

Luminária TolomeoFonte da imagem site: MDM.

Luminária TolomeoFonte da imagem site: Pinterest.

Luminária TolomeoFonte da imagem site: kmldesign.

Luminária TolomeoFonte da imagem site: Pinterest.

Luminária TolomeoFonte da imagem site: Opad.

Luminária TolomeoFonte da imagem site: Pinterest.

Luminária TolomeoFonte da imagem site: sisustusblogi.

Luminária TolomeoFonte da imagem site: Pinterest.

Luminária TolomeoFonte da imagem site: House & Home.

Luminária TolomeoFonte da imagem site: Fancy.