Blog sobre Iluminação, Arquitetura, Design

Tipo de lâmpada: INCANDESCENTE

In Iluminação, Luminária decorativa, Tipo de lâmpada on 12 de janeiro de 2010 at 18:54

Fonte da imagem: Blog NEEA 2009

Depois de vários experimentos de inventores como Werner von Siemens (que em 1866 construiu máquinas para fornecimento de eletricidade constante), e do alemão Heinrich Goebel (que em 1854 construiu a primeira lâmpada que proporcionasse emissão de luz, porém a emissão de luz era por pouco tempo), em 1879, Thomas Alva Edison desenvolveu a primeira lâmpada incandescente. Esta foi a primeira lâmpada que teve uma produção em escala e que foi bem sucedida comercialmente.

Thomas Edison usou uma haste bem fina feita de carvão carbono, que ao aquecida, emitia luz, mas não por muito tempo, uma vez que o filamento de carvão tinha pouca vida útil. Posteriormente esse filamento foi substituído por ligas metálicas; depois por bambu; celulose e finalmente a que usamos ainda nos dias de hoje que é filamento de tungstênio. Este podendo chegar a temperaturas superiores a 3000°C.

O filamento fica alojado na parte interna do bulbo de vidro sob vácuo com gases quimicamente inertes. A base de fixação da lâmpada é de rosca que chamamos de E27, o tipo de encaixe mais comum. Mas existe no mercado com outros encaixes que são chamados de E12 e E14.

A lâmpada incandescente é a mais conhecida e a mais usada, em função de ter um baixo custo e de fácil manutenção na hora da troca. Sua eficiência não é das melhores, pois apenas 5% da energia gasta é transformada em luz e os outros 95% se transformam em calor. Por causa deste desperdício, a União Européia decidiu abolir as lâmpadas incandescentes a partir de 2012. Com esta medida, prevê-se, não só a redução de cerca de 1 milhão de toneladas de CO2 até 2020 como também a economia de energia.

A emissão de luz que essa lâmpada proporciona deixar o ambiente de forma aconchegante, por isso é muito usada em plafons, abajures e arandelas. Ela pode ainda ser dimerizada, ou seja, usar um dispositivo chamado dimmer, que regula a intensidade da luz conforme a necessidade de uso. Com temperatura de cor agradável, na faixa de 2.700K (“amarelada”) e reprodução de cor de 100%, ela tem atualmente sua aplicação predominantemente em áreas residenciais. A vida útil de uma lâmpada incandescente é em média de 1000 horas, por exemplo, ligada 5 horas por dia, deverá durar por volta de uns 6 meses.

E o que fazer com as lâmpadas queimadas?

Esse tipo de lâmpada pode ser depositado em lixo comum, pois não há gases e materiais químicos que tenham impacto ambiental negativo.  E pode ser reciclado o vidro e o metal, segundo informação da OSRAM. No entanto, muito cuidado ao depositar no lixo, coloque sempre em um jornal ou em algum tipo de proteção para que os catadores não corram riscos de se ferirem.

E podemos usar a criatividade e recriar a função dos bulbos. Abaixo uma seleção de fotos retiradas do site Mdig com sugestões de reutilização das lâmpadas incandescentes.

Decoração de Natal

Utensílio de cozinha.

Tocheiro

Vaso para flor

Luminária.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: